❤ūüĆ∑ūüĆ∑ūüĆ∑(◠‿◠)ūüĆĽ"O ensino que realmente causa impacto em quem o recebe n√£o √© o que passa de uma mente para outra, mas de um cora√ß√£o para outro."❤ūüĆ∑ūüĆ∑ūüĆ∑(◠‿◠)ūüĆĽ HOWARD HENDRICKS

Pessoas especiais que acompanham o meu trabalho:

segunda-feira, junho 06, 2011


Bullying: mitos e verdades.

1

BULLYING: MITOS E VERDADES
Hoje, passando pelo site da psicopedagoga Clara, ela relata que no Jornal Notisul encontrou um √≥timo texto de Patr√≠cia Pozza na coluna Caminhos da Educa√ß√£o. Ela trabalhou com pais de alunos de uma escola sobre os mitos e as verdades do bullying e escreveu sobre alguns pontos dialogados no col√©gio. 
Para come√ßar, Patr√≠cia comenta sobre a grande repercuss√£o de alguns casos de viol√™ncia na escola, divulgados pela m√≠dia, e do desconhecimento do que realmente seja este tipo de viol√™ncia, existe a tend√™ncia de acreditar-se que todos os atos violentos que ocorram na escola s√£o bullying.
Assim, como consequ√™ncia da complexidade do estudo do bullying, muitos pais e profissionais que lidam com a clientela escolar podem consider√°-lo algo que n√£o o √©. Por isso, √© necess√°rio conhecer e reconhecer o fen√īmeno, a fim de diferenci√°-lo das brincadeiras ou atitudes inconsequentes pr√≥prias das diferentes idades, al√©m das demais formas de viol√™ncia.
O bullying “compreende todas as atitudes agressivas, intencionais e repetitivas que ocorrem sem motiva√ß√£o evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e ang√ļstia, e executadas dentro de uma rela√ß√£o desigual de poder, tornando poss√≠vel a intimida√ß√£o da v√≠tima” (Lopes Neto e Saavedra, 2003).
Para que se possa identificar o bullying, é fundamental que se leve em conta os critérios estabelecidos para o diagnóstico deste tipo de violência. São eles:
• A√ß√Ķes repetitivas contra a mesma v√≠tima em um per√≠odo prolongado de tempo.
• Desequil√≠brio de poder, o que dificulta a defesa da v√≠tima.
• Aus√™ncia de motivos que justifiquem os ataques.
O bullying se caracteriza por atitudes agressivas (físicas ou verbais), intencionais e repetidas, praticadas por um ou mais alunos contra outro. Não se trata de brincadeiras ou desentendimentos eventuais pois, os estudantes que são alvos, sofrem esse tipo de violência sistematicamente.
Patr√≠cia mostra que √© importante reafirmar que ele √© diferente de uma brincadeira inocente, sem inten√ß√£o de ferir. Tamb√©m n√£o se trata de um ato de viol√™ncia pontual, de troca de ofensas no calor de uma discuss√£o, mas de atitudes hostis, que violam o direito a integridade f√≠sica e psicol√≥gica e √† dignidade humana.
Portanto, ao analisar uma conduta agressiva, √© imprescind√≠vel verificar se o ato preenche os crit√©rios estabelecidos para a identifica√ß√£o do fen√īmeno. Somente depois o devido encaminhamento deve ser dado. Atuando dessa forma, a margem de erro √© m√≠nima, e as estrat√©gias de atua√ß√£o tornam-se mais efetivas.

1 coment√°rios:

Clau Labres disse...

Ol√°, Jo...
Acabo de conhecer teu blog, gostei muito.
Parabéns!
Beijinhos,
Clau

Postar um coment√°rio

Oi obrigada por comentar, Jo.

My Family.